CENAS MEMORÁVEIS DO CINEMA: VANILLA SKY

08/09/2020

La Seine à Argenteuil (1873)

Vanilla Sky (ou “Céu de Baunilha” em português) é o tipo de filme que se costuma chamar de multigênero: começa com um envolvente thriller que mistura romance e ação e desemboca em uma ficção científica com uma pegada filosófica interessantíssima: (alerta de spoiler!) o que vale mais a pena, viver uma vida real, com suas consequências naturais boas e ruins, inclusive a morte, ou passar eternamente uma vida imaginária, no fenômeno conhecido como “sonho lúcido”? Lançado em 2001, Vanilla Sky na verdade se trata de um remake do filme espanhol Abre los Ojos (1997), do cineasta chileno-espanhol Alejandro Amenábar.

A expressão vanilla sky é usada em países de língua inglesa para descrever aquele tipo de céu no entardecer, onde existe uma mistura de céu azul e nuvens com um tom creme alaranjado pelo efeito do sol se pondo. É uma imagem que ficou imortalizada por Claude Monet na pintura La Seine à Argenteuil (1873). Mais recentemente, passou a ser conhecida no universo pop pelo vibrante clímax do filme de mesmo nome, quando o personagem David Aames (vivido por Tom Cruise), no topo de um arranha-céu em Manhattan e sob um “céu de baunilha”, surta e vai ao seu limite. E tudo isso embalado ao som de Good Vibrations dos The Beach Boys, em uma perfeita combinação de imagens e música, uma das melhores do cinema.

A baunilha é uma especiaria obtida da vagem de uma espécie de orquídea originária do México. Com seu sabor adocicado e floral, combina super bem com cervejas do estilo Irish Dry Stout. Abra uma agora e good vibrations!

Desenvolvido por Agência Ecco